AVISO AVISO

ATENÇÃO com a finalidade de melhorar a performance do sistema, estão sendo exibidas apenas as consultas públicas EM ANDAMENTO.

Caso deseje acessar as consultas com prazo esgotado, favor selecionar o botão STATUS abaixo e marcar a opção "Fechado".

fechado
Consulta Pública nº 111 de 05/07/2021

Segunda Fase da Consulta Pública relativa aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2020-2021)

Segunda fase da Consulta Pública nº 109, sobre proposta do GT Metodologia da CPAMP (ciclo 2020-2021) contemplando aprimoramentos nos modelos, abordando os seguintes temas: Avaliação da Parametrização do CVaR, Elevação de Armazenamento, Consideração do Volume Mínimo Operativo no Modelo DECOMP, Representação da Produtibilidade Hidroelétrica e Perdas Hidráulicas no Planejamento da Operação Energética de Curto Prazo, Representação Hidrológica e Taxa de Desconto. Contribuições até às 12:00, 15/07/21.

Publicação no DOU em: 05/07/2021,
Prazo: 05/07/2021 à 14/07/2021
Número Processo: 48330.000188/2020-32
Área Responsável: SECRETARIA EXECUTIVA
ANEXOS
Nota Técnica - Consolidação das contribuições da CP111 Download
Relatório Complementar com Sumário Executivo 2020 2021 Download

  • Contribuído em 09/07/2021 Furnas Centrais Elétricas S.A.

    Contribuição de FURNAS à Consulta Pública 111/2021 MME Segunda Fase da Consulta Pública relativa aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2020-2021)

    O objetivo deste documento é apresentar as contribuições de FURNAS à Consulta Pública 111/2021 do MME, que divulgou a documentação técnica do Grupo de Trabalho - GT de Metodologia da Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico - CPAMP, com o objetivo de colher subsídios da sociedade sobre segunda fase da Consulta Pública nº 109, sobre proposta contemplando aprimoramentos nos modelos, abordando os seguintes temas: Avaliação da Parametrização do CVaR, Elevação de Armazenamento, Consideração do Volume Mínimo Operativo no Modelo DECOMP, Representação da Produtibilidade Hidroelétrica e Perdas Hidráulicas no Planejamento da Operação Energética de Curto Prazo, Representação Hidrológica e Taxa de Desconto.. Na ocasião da CP MME 109/2021 Furnas teve a oportunidade de contribuir sobre os temas em epígrafe. Novamente, a contribuição de FURNAS se concentra na preocupação do bom desenvolvimento dos modelos e metodologias utilizadas no despacho das usinas e na formação de preço da energia no SIN, uma vez que entendemos ser saudável ao setor elétrico que os modelos energéticos reflitam o melhor possível a operação do SIN. Isso diminui os Encargos de Serviço de Sistema, fornece sinal correto do preço da energia no Mercado de Curto Prazo e aumenta a previsibilidade por parte dos agentes, que passam a depender menos da realização de estimativas sobre as operações heterodoxas do ONS, que dificulta o gerenciamento de riscos por parte dos agentes. Nesse sentido, foi com pesar que soubemos nessa CP 111 da constatação do problema de cálculo inexato na Função de Custo Futuro (FCF) ao se considerar a metodologia PAR(p)-A na versão 27.04.07 do modelo NEWAVE, que serviu de base para os estudos realizados pela CPAMP, e por nós agentes, durante a CP MME 109/2021.

    Número identificador: 111/21-07091

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 BC Comercialização de Energia S.A

    Contribuição do Grupo BC à Consulta Pública 111/2021

    A BC Comercialização de Energia S.A (“GRUPO BC”), apresenta sua contribuição à Consulta Pública nº 111/2021 do Ministério de Minas e Energia (MME), denominada de segunda fase da Consulta Pública nº 109, que tem por objetivo colher sugestões sobre o relatório técnico do Grupo de Trabalho – GT de Metodologia da Comissão Permanente para Análises de Metodologias e Programas Computacionais - CPAMP no intuito de aprimorar os modelos de formação de preços para o horizonte de janeiro de 2022 em diante.

    Número identificador: 111/21-07124

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 ABRAGE

    Contribuições da ABRAGE à Consulta Pública MME 111/2020

    Contribuições da ABRAGE à Consulta Pública MME 111/2020 - Segunda Fase da Consulta Pública relativa aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2020-2021).

    Número identificador: 111/21-07125

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 Engie

    Contribuições ENGIE à CP MME 111/2021

    A Engie Brasil Energia manifesta-se de acordo com a introdução das restrições de RHE (VMinOp) no modelo DECOMP. Complementarmente à contribuição feita na 1ª fase da presente CP, argumenta pela consideração dessas restrições somente na etapa estocástica. Por outro lado, manifesta-se fortemente contrária à alteração dos níveis de armazenamento mínimo de VMinOp e à alteração dos parâmetros de CVaR, dada a insuficiência de avaliação para sua adoção em conjunto com as demais aversões a risco vigentes, como o CVaR. Se houver a adoção de todas as alterações propostas em um pacote único, sem a requisitada validação técnica, a sinalização é de que os preços se tornarão ainda menos críveis para o mercado, diametralmente oposto ao objetivo pretendido.

    Número identificador: 111/21-07126

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 ABRAGE

    Contribuições CEMIG para a Consulta Pública nº 111/2021

    A Companhia Energética de Minas Gerais - CEMIG traz, por meio desde documento, suas considerações sobre Consulta Pública nº 111, de 5 de julho de 2021, cujo objetivo é o aprimoramento, proposto pela CPAMP, nos modelos de operação do setor elétrico abordando: Avaliação da Parametrização do CVaR, Elevação de Armazenamento, Consideração do Volume Mínimo Operativo no Modelo DECOMP, Representação da Produtibilidade Hidroelétrica e Perdas Hidráulicas no Planejamento da Operação Energética de Curto Prazo, Representação Hidrológica e Taxa de Desconto.

    Número identificador: 111/21-07128

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 Aliança Geração

    Carta Aliança nº 049/2021

    Contribuição da Aliança Geração de Energia S.A. na Consulta Pública nº 111 de 05/07/2021 relativa a segunda fase da Consulta Pública relativa aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2020-2021)

    Número identificador: 111/21-07129

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 UHE Jirau

    Contribuição Conjunta Estruturantes à CP MME 111_21

    i) Observar, antecipadamente, o comportamento dos modelos com o aprimoramento da representação de séries hidrológicas via aplicação e implementação apenas do Par-p-A, no mínimo até dez/22. A implementação correta da modelagem do PAR(p)-A deve ser priorizada, para depois analisar a necessidade de critérios de aversão a risco adicionais. ii) Avaliar a oportunidade de evolução metodológica para a representação de forma individualizada das usinas hidrelétricas no modelo NEWAVE. Entendemos que os aprimoramentos metodológicos antes de outras alterações, devem priorizar suas evoluções a fim de representar uma melhor modelagem de parâmetros físicos. iii) A superposição de mecanismos de aversão ao risco no Setor se mostra incoerente por impossibilitar a análise individualizada dos impactos físicos e comerciais de cada mecanismo (custo de déficit; diferentes taxas de desconto entre operação e expansão; CVaR; e VMinOp), além, é claro, da própria afluência. Ou não se permite que a física do SIN propicie despacho ótimo, à medida em que a principal componente da formação de preço passa um elemento exógeno, no caso o CVaR, o que contribui negativamente para a previsibilidade do mercado iv) Avaliar período mais extenso. Recomenda-se o monitoramento do sistema, no mínimo até dezembro de 2022, com os aprimoramentos da representação do Sistema e de seus critérios operativos (incluindo as restrições de uso múltiplo dos rios Grande e Paranaíba) – operação sombra, a exemplo do processo de implantação do PLD horário. v) Quantificar/estimar os impactos sobre os consumidores livres e os geradores hidrelétricos em função da elevação do PLD e dos preços bilaterais no ACL e dar tratamento adequado. vi) Após aval .e monitoramento c/aprimoramentos concluídos, se for necessária nova Aversão a Risco, que seja transitória (2-3 anos), para que a elevação estrutural dos reservatórios almejada ocorra a custos suportáveis para os Agentes impactados, adotando-se medidas mitigadoras.

    Número identificador: 111/21-071210

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 Santo Antônio Energia

    Proposta de Aprimoramento dos Modelos

    Dessa forma, reiteramos nossas contribuições para: i) Observar, antecipadamente, o comportamento dos modelos com o aprimoramento da representação de séries hidrológicas via aplicação e implementação apenas do Par-p-A, no mínimo até dezembro de 2022. ii) Avaliar a oportunidade de evolução metodológica para a representação de forma individualizada das usinas hidrelétricas no modelo NEWAVE. Entendemos que os aprimoramentos metodológicos antes de outras alterações, devem priorizar suas evoluções afim de representar uma melhor modelagem de parâmetros físicos. iii) A superposição de mecanismos de aversão ao risco no Setor se mostra incoerente por impossibilitar que sejam analisados de forma individualizada os impactos físicos e comerciais de cada mecanismo disponível, tais como: custo de déficit; diferentes taxas de desconto entre operação e expansão; CVaR; e VMinOp, além, é claro, da própria afluência. iv) Há necessidade de avaliação em período de comparação mais extenso. Recomenda-se o monitoramento do sistema, no mínimo até dezembro de 2022, com os aprimoramentos da representação do Sistema e de seus critérios operativos (incluindo as restrições de uso múltiplo dos rios Grande e Paranaíba) – operação sombra, a exemplo do processo de implantação do PLD horário. v) Há necessidade de quantificar/estimar os impactos sobre os consumidores livres e os geradores hidrelétricos em função da elevação do PLD e dos preços bilaterais no ACL e dar tratamento adequado. vi) Após avaliação e monitoramento do Sistema com os aprimoramentos concluídos, se a aplicação de novo critério de aversão a risco demonstrar-se necessária, que haja uma implementação transitória (2-3 anos), de forma que a elevação estrutural dos níveis de reservatórios almejada ocorra a um custo suportável para os Agentes impactados, adotando-se medidas mitigadoras.

    Número identificador: 111/21-071211

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 Eletrobras

    Contribuição Eletrobras - CP MME 111/2021

    As Empresas Eletrobras apresentam suas contribuições para a CP MME 111/2021 e demonstram seu interesse em auxiliar o aprimoramento dos modelos computacionais de despacho e formação de preços para o Setor Elétrico Brasileiro, com transparência nos desenvolvimentos metodológicos. Assim, nesta contribuição, ressalta-se a importância da elaboração de modelos que reflitam a condição da operação do SIN, da forma mais fiel possível, para uma sinalização do preço da energia mais consistente no Mercado de Curto Prazo e com menos gastos com Encargos de Serviço de Sistema.

    Número identificador: 111/21-071214

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 14/07/2021 Omega Energia

    Contribuição complementar da Omega Energia para mudanças nos modelos computacionais proposta pela CPAMP

    • A insegurança trazida pela condução do processo e falta de clareza dos benefícios da proposta apresentada fragilizam a decisão • Os parametros apresentados trazem preocupações quanto ao equilíbrio econômico financeiro do setor e a nova judicialização do mercado • Na contramão, os resultados apresentados nesta CP indicam: o Os parâmetros (50,50) mitigam integralmente o GFOM o Os parâmetros (50,35) são os mais eficientes e satisfazem os volumes mínimos operativos • Recomenda-se a manutenção dos parâmetros 50,35 por serem mais eficientes e a continuação dos estudos para eventual alteração no próximo ano, coordenada com as diretrizes de reenchimento de reservatórios na próxima década da Lei n. 14.182/21

    Número identificador: 111/21-071418

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 Neoenergia

    Contribuição Neoenergia

    Nossa contribuição é de que os parâmetros sejam mantidos para 2022 e que sejam realizados estudos mais robustos para eventualmente subsidiar essa atualização para próximos ciclos.

    Número identificador: 111/21-071519

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 Delta Energia

    Contribuições Grupo Delta Energia

    A presente Consulta Pública propõe modificações nos modelos computacionais utilizados no processo de despacho energético e formação do preço de energia elétrica, com a finalidade aprimorar os resultados e aumentar a aderência face as condições operativas do sistema elétrico. O aprimoramento na cadeia de modelos computacional que são utilizados pelo ONS, CCEE e EPE são constantes, e sempre visam buscar respostas para apoiar a decisão. Aversão ao Risco bem como minimização do custo total de operação sempre foram o binômio ancorado do setor. Um ponto importante é que as propostas da CPAMP tenham um cunho estrutural e que a situação conjuntural, de afluências piores do histórico (outliers), não sirva de combustível para influenciar a tomada de decisão olhando apenas um prisma do problema. O Grupo Delta Energia sempre se mostrou a favor da evolução dos modelos de formação de preço e otimização energética, e sempre se colocou na posição de contribuir nas discussões e análises relacionadas aos aprimoramentos dos modelos. Neste contexto, o presente documento tem o objetivo de explorar as sugestões feitas pelas CPAMP na CP 109/2021 e expor as contribuições e considerações do Grupo Delta Energia.

    Número identificador: 111/21-071522

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 Zeta Energia

    Contribuições Zeta Energia

    A presente Consulta Pública propõe modificações nos modelos computacionais utilizados no processo de despacho energético e formação do preço de energia elétrica, com a finalidade aprimorar os resultados e aumentar a aderência face as condições operativas do sistema elétrico. O aprimoramento na cadeia de modelos computacional que são utilizados pelo ONS, CCEE e EPE são constantes, e sempre visam buscar respostas para apoiar a decisão. Aversão ao Risco bem como minimização do custo total de operação sempre foram o binômio ancorado do setor. Um ponto importante é que as propostas da CPAMP tenham um cunho estrutural e que a situação conjuntural, de afluências piores do histórico (outliers), não sirva de combustível para influenciar a tomada de decisão olhando apenas um prisma do problema. A Zeta Energia sempre se mostrou a favor da evolução dos modelos de formação de preço e otimização energética, e sempre se colocou na posição de contribuir nas discussões e análises relacionadas aos aprimoramentos dos modelos. Neste contexto, o presente documento tem o objetivo de explorar as sugestões feitas pelas CPAMP na CP 109/2021 e expor as contribuições e considerações da Zeta Energia.

    Número identificador: 111/21-071525

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 Beta Energia

    Contribuições Beta Energia

    A presente Consulta Pública propõe modificações nos modelos computacionais utilizados no processo de despacho energético e formação do preço de energia elétrica, com a finalidade aprimorar os resultados e aumentar a aderência face as condições operativas do sistema elétrico. O aprimoramento na cadeia de modelos computacional que são utilizados pelo ONS, CCEE e EPE são constantes, e sempre visam buscar respostas para apoiar a decisão. Aversão ao Risco bem como minimização do custo total de operação sempre foram o binômio ancorado do setor. Um ponto importante é que as propostas da CPAMP tenham um cunho estrutural e que a situação conjuntural, de afluências piores do histórico (outliers), não sirva de combustível para influenciar a tomada de decisão olhando apenas um prisma do problema. A Beta Energia sempre se mostrou a favor da evolução dos modelos de formação de preço e otimização energética, e sempre se colocou na posição de contribuir nas discussões e análises relacionadas aos aprimoramentos dos modelos. Neste contexto, o presente documento tem o objetivo de explorar as sugestões feitas pelas CPAMP na CP 111/2021 e expor as contribuições e considerações da Beta Energia.

    Número identificador: 111/21-071527

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 ABRAGEL

    Contribuição ABRAGEL - CP MME 111/2021

    Número identificador: 111/21-071528

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 ABRAGET

    Contribuições da ABRAGET a CP 111

    De forma similar aos pontos manifestados pela ABRAGET na CP109, a proposta oriunda da CP111 do MME traz as mesmas preocupações sobre o impacto no mercado, portanto a ABRAGET sugere alterações mais moderadas nos chamados aprimoramentos propostos pelo CPAMP.

    Número identificador: 111/21-07122

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 Chesf

    Contribuições Chesf à Consulta Pública MME nº 111/2021

    Seguem, no arquivo anexo, as contribuições da Chesf relativas aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2020-2021), correspondendo a segunda fase da Consulta Pública MME nº 109/2021,

    Número identificador: 111/21-07123

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 14/07/2021 ABRACE

    Contribuição ABRACE

    A ABRACE, associação setorial que representa os grandes consumidores industriais de energia, no viés de contribuir com o processo de aperfeiçoamento regulatório e modernização do setor elétrico brasileiro - SEB, apresenta abaixo suas considerações sobre as propostas de aprimoramentos nos modelos computacionais, tratados nessa segunda fase da Consulta Pública nº 109/2021.

    Número identificador: 111/21-071415

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 14/07/2021 CPFL Energia

    Contribuição Grupo CPFL Energia - CP MME nº 111/2021

    Contribuição do Grupo CPFL Energia à CP MME nº 111/2021

    Número identificador: 111/21-071417

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 ABEEólica - Associação Brasileira de Energia Eólica

    Contribuições da ABEEólica à CP 111/2021

    Contribuições da Associação Brasileira de Energia Eólica para a Consulta Pública MME nº 111/2021 - Segunda Fase da Consulta Pública relativa aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2020-2021).

    Número identificador: 111/21-071526

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 Casa dos Ventos Energias Renováveis

    Contribuição da Casa dos Ventos Energias Renováveis à Consulta Pública nº 111 de 2021, Segunda Fase da Consulta Pública relativa aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2020-2021).

    A Casa dos Ventos Energia Renováveis é favorável aos aprimoramentos que induzam eficiência e melhor representem o sistema, no entanto, os parâmetros que representam a aversão ao risco nos modelos devem ser estruturais e isentos da pressão da conjuntura atual de crise de suprimento. Assim, as mudanças dos parâmetros físicos que visam melhor representar a aversão ao risco (VminOp) e características do sistema (modelo de vazões) são bem-vindas, no entanto a implementação intempestiva das restrições de volume mínimo já violadas culminam sobretudo na resposta reativa dos modelos. Deste modo, uma implementação gradual deve ser considerada, haja vista os impactos ao equilíbrio econômico e financeiro dos agentes atuantes no mercado, à segurança das transações comerciais e à elevação do custo final em toda cadeia de suprimento de energia elétrica. Ademais, uma vez que não foram estabelecidos critérios e metodologias para a definição da parametrização do mecanismo CVaR, recomenda-se a manutenção dos valores ora vigentes. Destaca-se, sobretudo, como preceito básico a ser perseguido pela CPAMP a responsabilidade de não oscilar a calibragem dos parâmetros e mecanismos dos modelos de planejamento da expansão, planejamento e programação da operação, definição e cálculo da garantia física dos empreendimentos de geração e formação de preço no setor de energia elétrica no sentido de ora relaxar e ora restringir a aversão do risco ali representada em função de aspectos conjunturais. Isto prejudica significativamente o incentivo à expansão do setor elétrico, uma vez que a decisão de investimento é baseada em metodologias e parâmetros vigentes e carece de previsibilidade para o longo prazo.

    Número identificador: 111/21-07127

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 14/07/2021 Ligas de Aluminio SA

    CONTRIBUIÇÕES DA LIASA REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA Nº 111/21

    A LIASA concorda com a recomendação da CPAMP de utilização a partir de janeiro de 2022, nos modelos computacionais, dos parâmetros de CVaR (α = 25% e λ = 45%). Nas análises, essa combinação de parâmetros de CVaR atrelada à utilização da metodologia PAR(p) nos modelos NEWAVE e GEVAZP, da RHE no modelo DECOMP e da alteração dos níveis meta de VMinOp, se mostrou eficiente tanto para a segurança energética quanto para os impactos econômicos dos Agentes do SEB. Por último, recomendamos que a CPAMP estude, nos ciclos futuros, o resultado dos modelos computacionais com a utilização dos parâmetros de CVaR (α = 25% e λ = 45%) considerando os reservatórios em uma situação favorável (EAR>60%), de forma a entender se a utilização de tais parâmetros não levaria a manutenção de preços elevados, o que também seria muito prejudicial à indústria e todos os demais consumidores.

    Número identificador: 111/21-071416

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 Particular

    Contribuição Conjunta Norte Energia S.A/SAESA/ESBR à CP MME nº 111/2021

    A Contribuição propões observar, antecipadamente, o comportamento dos modelos com o aprimoramento da representação de séries hidrológicas via aplicação e implementação apenas do Par-p-A, no mínimo até dezembro de 2022 e a Avaliar a oportunidade de evolução metodológica para a representação de forma individualizada das usinas hidrelétricas no modelo NEWAVE. Manifesta que a superposição de mecanismos de aversão ao risco no Setor se mostra incoerente por impossibilitar que sejam analisados de forma individualizada os impactos físicos e comerciais de cada mecanismo disponível, tais como: custo de déficit; diferentes taxas de desconto entre operação e expansão; CVaR; e VMinOp, além, é claro, da própria afluência. Ressalta a necessidade de avaliação em período de comparação mais extenso. Recomenda-se o monitoramento do sistema, no mínimo até dezembro de 2022, com os aprimoramentos da representação do Sistema e de seus critérios operativos (incluindo as restrições de uso múltiplo dos rios Grande e Paranaíba) – operação sombra, a exemplo do processo de implantação do PLD horário. Propõe uma implementação transitória, se a aplicação de novo critério de aversão a risco demonstrar-se necessária após avaliação e monitoramento do Sistema com os aprimoramentos concluídos.

    Número identificador: 111/21-071212

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 12/07/2021 AES Brasil

    Contribuição AES Brasil

    - Visto que os novos parâmetros propostos para o CVaR não têm uma justificativa objetiva, e a CPAMP encontrou problemas na modelagem do PAR(p)-A, entendemos que, para 2022, deveria ser implementada apenas a alteração dos volumes mínimos operativos e sua representação no modelo Decomp. - A fim de permitir maior profundidade nas análises e garantir consistência estrutural no aprimoramento dos modelos, deveriam ser analisados, em simulação “sombra”, os impactos de possíveis parâmetros do CVaR e a aplicação do PAR(p)-A, assim que os problemas identificados forem resolvidos. - Complementarmente, sugerimos que sejam feitos e apesentados estudos em cenários hidrológicos mais favoráveis, evitando uma calibração demandada pela conjuntura.

    Número identificador: 111/21-071213

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 Enel Green Power Brasil

    Contribuição da ENEL BRASIL

    Contribuição da ENEL BRASIL

    Número identificador: 111/21-071521

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 ABIAPE

    Contribuição da ABIAPE para a CP MME 111

    A ABIAPE encaminha suas contribuições para a Consulta Pública nº 111 - segunda fase da CP MME 109 - que visa obter contribuições sobre propostas do GT Metodologia da CPAMP (ciclo 2020-2021) contemplando aprimoramentos adicionais nos modelos.

    Número identificador: 111/21-071523

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia

    Contribuição da Abraceel à Consulta Pública 111/2021 do MME

    Contribuição da Abraceel à Consulta Pública 111/2021 do MME - Novas propostas CPAMP de alteração nos modelos para 2022

    Número identificador: 111/21-071524

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 15/07/2021 Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica

    Contribuições da Apine para a CP 111-2021

    Contribuições da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica - Apine para a CP 111/2021 - Segunda Fase da Consulta Pública relativa aos aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2020-2021)

    Número identificador: 111/21-071520

    Justificativa da reprovação: