AVISO AVISO

ATENÇÃO com a finalidade de melhorar a performance do sistema, estão sendo exibidas apenas as consultas públicas EM ANDAMENTO.

Caso deseje acessar as consultas com prazo esgotado, favor selecionar o botão STATUS abaixo e marcar a opção "Fechado".

fechado
Consulta Pública nº 121 de 10/02/2022

Consulta Pública sobre aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2021-2022)

Consulta Pública sobre proposta do Grupo de Trabalho Metodologia – GT-Metodologia da Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico – CPAMP que trata dos aprimoramentos propostos pelo GT-Metodologia no Ciclo 2021-2022, abordando os seguintes temas: Modelo PAR(p)-A de Representação Hidrológica e a Avaliação da Parametrização da Aversão ao Risco (CVaR).

Publicação no DOU em: 10/02/2022,
Prazo: 10/02/2022 à 18/03/2022
Número Processo: 48330.000188/2020-32
Área Responsável: SECRETARIA EXECUTIVA
ANEXOS
Relatório Análise Contribuições CP 121 Download
Relatório Técnico GT Metodologia CPAMP nº 01-2022 Download

  • Contribuído em 11/03/2022 Tempo Energia

    CP n° 121 - 2022 - Tempo Energia

    Realizando uma análise dos prospectivos e do Backteste- CRef 2022 SIN apresentados, fica incontestável que o objetivo que o CPAMP deveria garantir o comportamento preventivo, ao invés de garantir a contingência. Visto que, no nosso entendimento, o acúmulo de energia armazenada é menos custoso ao Sistema e mais seguro, se comparado ao critério de contingência, que não atende um reservatório satisfatório em cenário crítico, (EAR inicial baixo e pior ENA do histórico), caso que foi provado que independente do parâmetro o sistema neste cenário artificial terminará em uma situação operativa não desejada (prospectivo 60MLT_EARM20). Desta forma dentre todos os casos estudados, entendemos que o caso PAR(A) – 2530 é o caso que atendeu todos os requisitos ao menor custo e maior benefício.

    Número identificador: 121/22-031112

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 Aliança Energia

    Envio da Contribuição da Aliança Geração

    Encaminhamento da Carta n 006/2022 da Aliança Geração contendo o envio da contribuição da CP MME 121/2022.

    Número identificador: 121/22-031114

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 Enel

    Contribuição Enel - CP 121/2022

    A Enel Brasil parabeniza o Ministério de Minas e Energia e o Grupo de Trabalho de Metodologia da CPAMP pelo trabalho que teve como objetivo buscar a coerência e a integração das metodologias e programas computacionais utilizados no Setor Elétrico e apresenta no arquivo em anexo suas considerações sobre o Relatório “Modelo PAR(p)-A de Representação hidrológica e avaliação da parametrização do CVAR - Ciclo 2021/2022” que traz as recomendações propostas pelo GT Metodologia da CPAMP.

    Número identificador: 121/22-031828

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 25/02/2022 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

    Contribuições Prof. Alexandre Street para a CP 121

    Os seguintes pontos de contribuição foram identificados sobre o documento apresentado na chamada pública: 1) Melhoria na precisão da expressão (1) que apresenta a fórmula do PAR(p)-A. Duas fontes de imprecisão foram encontradas e correções sugeridas. Apresento um conjunto de referências e sugestões de aprimoramento para o processo de monitoramento dos modelos de previsão. Trago também algumas reflexões sobre a capacidade de obtermos maior agilidade no processo de gestão dos modelos de previsão e dos dados, nos aproximando minimamente do estado da arte, dentro de um desenho onde modelos e visões são centralizadas. 2) Necessidade de métricas de monitoramento do viés das entradas e saídas dos modelos de planejamento. Em especial, a necessidade de acompanhamento contínuo sobre a aderência das previsões de ENAs e das saídas do Newave e Decomp. A aderência das saídas influencia inclusive nos próximos itens. 3) Sugestões de melhorias para o processo de avaliação de mudanças na política de planejamento e nas previsões de variáveis operativas e de mercado. Apresento uma discussão sobre os possíveis impactos da falta de métricas de aderência entre o Newave e a realidade no longo prazo e na expansão e segurança. 4) Sugestões de melhorias nas métricas e processos de avaliação e revisão dos parâmetros de aversão a risco. Também apresento reflexões sobre a coerência da métrica atual, os perigos que corremos com ajustes de parâmetros indiretos e com o uso de métricas de risco na ausência de comprovada aderência do Newave à realidade.

    Número identificador: 121/22-02251

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 ABRAGET

    Contribuições da ABRAGET para a CP 121 - GT CPAMP Ciclo 2121-2022

    A ABRAGET sugere alterações mais moderadas nos chamados aprimoramentos propostos pelo CPAMP, e uma busca mais objetiva de parâmetros físicos na modelagem do problema de despacho e formação de preços.

    Número identificador: 121/22-03113

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 Furnas

    CONTRIBUIÇÕES DE FURNAS À CONSULTA PÚBLICA MME Nº 121, de 10/02/2022, sobre proposta do Grupo de Trabalho Metodologia – GT-Metodologia da Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico – CPAMP que trata dos aprimoramentos propostos pelo GT-Metodologia no Ciclo 2021-2022, abordando os seguintes temas: Modelo PAR(p)-A de Representação Hidrológica e a Avaliação da Parametrização da Aversão ao Risco (CVaR).

    A contribuição de FURNAS se concentra na preocupação do bom desenvolvimento dos modelos e metodologias utilizadas no despacho das usinas e na formação de preço da energia no SIN, uma vez que entendemos ser saudável ao setor elétrico que os modelos energéticos reflitam o melhor possível a operação do SIN. Isso diminui os Encargos de Serviço de Sistema, fornece sinal correto do preço da energia no Mercado de Curto Prazo e aumenta a previsibilidade por parte dos agentes, que passam a depender menos da realização de estimativas sobre as operações heterodoxas do ONS, que dificulta o gerenciamento de riscos por parte dos agentes.

    Número identificador: 121/22-03114

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 Chesf

    Contribuições da Chesf - CP MME 121/2022

    Seguem, no arquivo anexo, as contribuições da Chesf no sentido de apoiar as melhorias propostas no âmbito do CPAMP, ressaltando o benefício que será gerado em termos de segurança energética, tanto na representação da operação quanto na formação de preços nos modelos computacionais do CEPEL.

    Número identificador: 121/22-03115

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 ABRACE

    Contribuição ABRACE

    A ABRACE, associação setorial que representa os grandes consumidores industriais de energia, no viés de contribuir com o processo de aperfeiçoamento regulatório e modernização do setor elétrico brasileiro - SEB, apresenta abaixo suas considerações sobre as propostas de aprimoramentos dos modelos computacionais.

    Número identificador: 121/22-03117

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 FIESP

    Contribuição da FIESP à Consulta Pública 121/2022

    De forma geral, as propostas tornam a operação do sistema mais avessa ao risco, com aumento da geração termelétrica, aumento na energia armazenada nos reservatórios e, consequentemente, aumento do CMO médio. Por outro lado, espera-se uma redução no despacho fora da ordem de mérito, reduzindo os encargos por segurança energética. Além disso, as alterações também impactarão a GF das usinas hidrelétricas, diminuindo a sobrecontratação das distribuidoras, e aumentando espaço no planejamento da expansão. Diante disso, julgamos que as alterações propostas são positivas e podem diminuir o gap existente entre a operação “ótima” projetada pelos modelos e aquela efetivamente praticada. Porém, são necessárias observações a respeito de duas das três alterações propostas.

    Número identificador: 121/22-031113

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 EDP

    Contribuições EDP

    Em síntese a EDP: • Concorda com as alterações propostas para a evolução da representação dos cenários hidrológicos com a utilização do PAR(p)-A e a adoção do novo critério de parada para o modelo Newave, propostos pela CPAMP; • Sugere que se estabeleça uma periodicidade de dois anos para reavaliação e consequente recalibração dos pares de CVaR; • Defende a criação de um grupo de trabalho na CPAMP, específico sobre a construção da CRef, que culmine com a abertura de uma consulta pública, de forma a consultar o mercado sobre a metodologia, critérios e governança desta curva; • Sugere que seja incorporada na análise de aderência do despacho térmico, à Curva Referencial de Armazenamento - CRef, um limitador superior de geração térmica de 5%; • Sugere que os pares de CVaR sejam ranqueados pelo custo unitário de aquisição de armazenamento; • Sugere que a recalibração, válida a partir de janeiro/23, seja feita para o par α = 25% e λ = 30%; e • Propõe a abertura de consulta pública para discutir com a sociedade a metodologia e parâmetros a serem empregados na próxima revisão de garantia física, de forma a garantir isonomia, transparência e previsibilidade para todos os agentes geradores hidráulicos neste processo.

    Número identificador: 121/22-03118

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 Norte Energia SA

    Contribuição NESA CP MME 121-2022 I Alteração nos Modelos para 2023

    A NESA na contribuição aborda os seguintes temas: - Acoplamentos do modelo de despacho e preço; - Regulamentação dos vertimentos turbináveis; - Revisão de Garantias Físicas; - Aprimoramentos futuros no despacho e formação de preços.

    Número identificador: 121/22-03119

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 Eletrobras

    Contribuições da ELETROBRAS à CP MME 121/2022

    Os modelos energéticos devem refletir, da melhor forma possível, a operação do Sistema Interligado Nacional - SIN. Como benefícios desse objetivo, obtém-se a diminuição de Encargos de Serviço de Sistema (ESS), uma melhor sinalização de preço da energia no Mercado de Curto Prazo (MCP) e uma melhor capacidade de previsão por parte dos agentes, permitindo-lhes um um melhor gerenciamento de riscos. A Eletrobras entende que os aprimoramentos propostos nessa Consulta Pública n.º 121/2022 vão ao encontro desses objetivos e, para contribuir com o tema, traz para o debate público suas análises e percepções.

    Número identificador: 121/22-031110

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 SANTO ANTONIO ENERGIA S/A

    Contribuição SAESA - CP MME 121-2022

    Pelo presente documento, a Santo Antônio Energia apresenta suas contribuições à CP MME nº 121/21, sobre proposta do GT Metodologia da CPAMP (ciclo 2021-2022) que trata de aprimoramentos propostos pelo GT-Metodologia no Ciclo 2021-2022, abordando os seguintes temas: (i) Modelo PAR(p)-A de Representação Hidrológica; e (ii) alteração dos parâmetros alfa e lambda para a parametrização da Aversão ao Risco (CVaR). A SAESA defende a aproximação entre o preço da energia, operação e planejamento, para que os modelos computacionais forneçam preços que provenham a correta sinalização econômica e uma política operativa mais aderente à realizada. Dessa forma, aumenta-se a previsibilidade dos agentes, tem-se uma alocação mais correta dos custos, e minimiza-se riscos não previstos a todos os participantes do mercado.

    Número identificador: 121/22-031111

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 Zeta Energia

    Contribuição CP 121/2022 - Zeta Energia

    Contribuição da Zeta Energia para a CP 121/2022.

    Número identificador: 121/22-031117

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 11/03/2022 Vibra Comercializadora

    Contribuição Vibra Comercializadora

    Contribuição à CP no arquivo anexo.

    Número identificador: 121/22-031118

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 17/03/2022 Casa dos Ventos Energias Renováveis

    Contribuição da Casa dos Ventos Energias Renováveis à Consulta Pública MME nº 121 de 2022, sobre aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2021-2022) - FAVOR CONSIDERAR ESTA VERSÃO

    O critério de convergência do modelo Newave proposto com a implementação do PAR(p)-A pode determinar uma solução incompleta e subótima e cria uma volatilidade excessiva. Este impasse precisa ser endereçado em trabalhos futuros, para se obter uma maior confiabilidade dos resultados. A recalibração do CVaR consoante à aversão ao risco da operação possibilita o maior acoplamento entre operação e modelos, com a correta sinalização econômica ao mercado, assim a utilização da CRef como balizadora do despacho necessário é uma proposição positiva desde que garantida a estabilidade do critério e da decisão. Assim, sugere-se uma frequência de reavaliação dos parâmetros a cada 5 anos, de tal forma a criar um histórico de decisão operativa de 60 meses, correspondente ao horizonte de planejamento da operação, que subsidiem uma nova recalibração dos parâmetros de aversão ao risco em função do eventual desvio da política operativa em relação ao desejável à luz da segurança energética e modicidade tarifária. Propõe-se a adoção do par (25,30), uma vez que os resultados para este par demonstraram plena capacidade de resposta quando se estabelecem condições adversas no SIN e apresentam bom compromisso entre a aversão ao risco e a minimização de geração térmica excessiva em situações de atendimento assegurado. Destaca-se, sobretudo, como preceito básico a ser perseguido pela CPAMP o compromisso e a responsabilidade de não oscilar a calibragem dos parâmetros e mecanismos dos modelos de planejamento da expansão, planejamento e programação da operação, definição e cálculo da garantia física dos empreendimentos de geração e formação de preço no setor de energia elétrica no sentido de ora relaxar e ora restringir a aversão do risco ali representada em função de aspectos conjunturais. Isto prejudica significativamente o incentivo à expansão do setor elétrico, uma vez que a decisão de investimento é baseada em metodologias e parâmetros vigentes e carece de previsibilidade para o longo prazo.

    Número identificador: 121/22-031719

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 MegaWhat

    Contribuição à CP Nº 121/2022 - Aprimoramentos propostos pelo GT Metodologia/CPAMP

    Simulações realizadas pela MegaWhat Consultoria indicam determinados comportamentos que demandam análises pelo GT Metodologia ao se incorporar os aprimoramentos propostos. Na sequência, sugerem-se estudos para o próximo ciclo, inclusive direcionado a se ter um maior peso do armazenamento nos modelos, de forma a ter um sinal de PLD mais coerente com a realidade do Sistema.

    Número identificador: 121/22-031823

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 ABIAPE - Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia

    Contribuição da ABIAPE para a CP MME 121

    A ABIAPE encaminha suas contribuições para a CP MME 121 de 2022, que trata de aprimoramentos metodológicos dos modelos de formação de preço e despacho das usinas do SIN.

    Número identificador: 121/22-031826

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica

    Contribuições da Apine para a CP 121-2022

    Contribuições da Apine para a Consulta Pública MME nº 121/2022 - Aprimoramentos propostos pela CPAMP (ciclo 2021-2022)

    Número identificador: 121/22-031829

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 Neoenergia

    Contribuição Neoenergia à CP 121

    Contribuição Neoenergia à CP 121

    Número identificador: 121/22-031830

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 Copel

    Contribuição da Copel à CP 121

    A Copel alerta sobre sua preocupação quanto à necessidade de que o planejamento e a operação do Sistema Interligado Nacional (SIN), indicados pelos modelos computacionais, estejam mais próximos da operação real, provendo, assim, a correta sinalização econômica dos preços de energia, além de aproximar a política operativa com as características dispostas no §4º do art. 1ºda Lei nº 10.848/2004. Tal necessidade proporciona aos agentes maior previsibilidade em relação à sinalização do preço de energia, mitigando riscos imprevistos aos integrantes do mercado e alocando acuradamente os custos de suas operações. Com relação aos valores de α e λ a vigorarem a partir de 2023, não existe dúvida de que precisam ser mais avessos ao risco do que os valores que vigoram atualmente e devem ter como principal objetivo tornar a decisão de operação, originária dos modelos, mais confiável a ponto de não haver diferença entre modelo e operação real. Assim, com esse objetivo é que recomendamos o par de valores CVaR(25,50) por ser o que tem valores que mais se aproximam da operação do ONS e, ao que parece, da aversão ao risco de racionamento da sociedade.

    Número identificador: 121/22-031831

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 CPFL Energia

    Contribuição Grupo CPFL Energia CP121/2022

    O Grupo CPFL Energia traz a sua contribuição à Consulta Pública nº 121/2022 – CP121, instaurada pelo Ministério de Minas e Energia – MME, que discute propostas de aprimoramentos para os modelos de formação de preço, apresentadas pelo GT-Metodologia da CPAMP, com alteração nos seguintes parâmetros: (i) modelo PAR(p)-A de Representação Hidrológica; (ii) avaliação da Reparametrização da Aversão ao Risco – CVaR e; (iii) avaliação do critério de parada. Merece destaque que o Grupo CPFL considera de fundamental importância o constante aprimoramento dos modelos computacionais utilizados na operação do sistema e na formação de preços com o objetivo de aproximar cada vez mais o preço da energia à operação do sistema. Os benefícios dessa aproximação trazem previsibilidade e credibilidade ao preço, resultando em decisões comerciais de contratação e despacho que elevam o mercado de energia a um patamar mais eficiente e sustentável. A partir das análises apresentadas pelo GT Metodologia nos documentos disponibilizados nesta CP121, o Grupo CPFL Energia apresenta, na sequência, sua contribuição.

    Número identificador: 121/22-031832

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 ABRAGEL

    Contribuição ABRAGEL - CP 121/2022

    A ABRAGEL vem por meio desta encaminhar as suas contribuições acerca da Proposta de aprimoramentos do GT-Metodologia da CPAMP no Ciclo 2021-2022.

    Número identificador: 121/22-031833

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 07/03/2022 AMPERE CONSULTORIA

    Contribuição Ampere à CP MME 121/2022

    Após análise multicritério, acreditamos haver espaço para reconsideração e adoção do par CVaR(25,35). Os resultados para este par demonstraram plena capacidade de resposta quando se estabelecem condições adversas no SIN, com índices de atendimento da GT em 96,5% para o BACKTEST e de 94,3% no estudo prospectivo 60MLT_EARM20. Ao mesmo tempo apresenta bom compromisso entre a aversão ao risco e a minimização de geração térmica excessiva em situações de atendimento assegurado. Os resultados do estudo prospectivo 80MLT_EARM20 mostra que para esta parametrização o volume de despacho térmico utilizado é retido de forma eficiente, sendo inteiramente convertido em ganho de armazenamento. Também apresenta capacidade de resposta adequada e proporcional em situações de degradação dos volumes armazenados, conforme estudo prospectivo 60MLT_EARM11.

    Número identificador: 121/22-03072

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 17/03/2022 ABRAGE

    Contribuições da ABRAGE à Consulta Pública 121/2022

    Contribuições da ABRAGE à Consulta Pública 121/2022 - Proposta do GT-Metodologia da CPAMP que trata dos aprimoramentos propostos pelo GT-Metodologia no Ciclo 2021-2022, abordando os seguintes temas: Modelo PAR(p)-A de Representação Hidrológica e a Avaliação da Parametrização da Aversão ao Risco (CVaR).

    Número identificador: 121/22-031720

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 17/03/2022 CTG BR

    Contribuição da CTG Brasil

    Contribuições da CTG Brasil à CP 121/2022

    Número identificador: 121/22-031721

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 ABEEólica - Associação Brasileira de Energia Eólica

    Contribuições da ABEEólica à CP 121/2022

    Contribuição ABEEólica na CP MME 121/2022 - CPAMP

    Número identificador: 121/22-031822

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia

    Contribuição da Abraceel à Consulta Pública 121/2022 do MME

    - A Abraceel defende a aproximação do preço e da operação, para que os modelos computacionais sejam capazes de fornecer preços que provenham a correta sinalização econômica; - A implementação da metodologia PAR(p)-A é positiva, mas chamamos atenção para o impacto que pode causar no aumento da necessidade de iterações do modelo, e consequentemente, sua estabilidade; - Com a adoção do PAR(p)-A o número máximo de iterações proposto, 50, não é suficiente para o modelo atingir a estabilidade e encontrar uma solução ótima; - Melhorar a estabilização do modelo é importante para que a implementação das alterações seja bem-sucedida, por isso, sugerimos que seja demonstrada que as diferenças entre as iterações são aceitáveis e não causam impactos relevantes na FCF; - Para aprofundar este tema e trazer respostas às contribuições dos agentes, entendemos como fundamental a realização de uma 2ª fase da Consulta Pública; - A CRef foi construída com o objetivo específico de subsidiar o CMSE na decisão do despacho fora da ordem de mérito, por isso, tem fragilidades quando passa a ser usada para outro objetivo; - A metodologia utilizada para atendimento da Geração Térmica da CRef deve ser reavaliada, de forma a incluir a Geração Térmica Excedente nas análises, a fim de evitar custos desnecessários ao sistema; - A consideração apenas da Geração Térmica Faltante, como feito pela CPAMP, traz apenas a ótica do risco pontual mensal, enquanto se a análise for feita de forma anual e considerando a Geração Térmica Excedente, pode-se encontrar pares de CVaR que atendam os mesmos requisitos a um custo menor; - Considerando os resultados divulgados no Relatório da CPAMP, e de acordo com as premissas definidas quando da elaboração dos estudos, sugerimos a adoção do par de CVaR (25,30); - Como a metodologia de construção da CRef não é consolidada, e suas premissas são suscetíveis a fatores conjunturais, não é recomendável a alteração recorrente dos parâmetros do CVaR.

    Número identificador: 121/22-031824

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 Delta Energia

    Contribuições Grupo Delta Energia

    A presente Consulta Pública propõe modificações nos modelos computacionais utilizados no processo de despacho energético e formação do preço de energia elétrica, com a finalidade aprimorar os resultados e aumentar a aderência face as condições operativas do sistema elétrico. O aprimoramento na cadeia de modelos computacionais que são utilizados pelo ONS, CCEE e EPE é constante, e sempre visa buscar respostas para apoiar a decisão. A aversão ao Risco bem como a minimização do custo total de operação sempre foram o binômio ancorado do setor. Um ponto importante é que as propostas da CPAMP tenham um cunho estrutural e que situações conjunturais, como a consideração das piores afluências do histórico (outliers), não sirvam de combustível para influenciar ou mesmo direcionar a tomada de decisão olhando apenas um prisma do problema. O Grupo Delta Energia sempre mostrou-se a favor da evolução dos modelos de formação de preço e otimização energética, recorrentemente colocando-se na posição de contribuir nas discussões e análises relacionadas aos aprimoramentos dos modelos. Na atual consulta pública, consideramos que foi proposta uma superposição de implementações que devem ser analisadas com grande profundidade, tanto de forma individual quanto conjunta, já que as mesmas podem apresentar interações que significativamente alteram a política operativa dos modelos. Neste contexto, o presente documento tem o objetivo de explorar as sugestões feitas pelas CPAMP na CP 121/2022 e expor as contribuições e considerações do Grupo Delta Energia.

    Número identificador: 121/22-031825

    Justificativa da reprovação:

  • Contribuído em 18/03/2022 ENGIE Brasil Energia

    Contribuição da ENGIE Brasil Energia

    A ENGIE Brasil Energia manifesta-se de acordo com a utilização da metodologia do PAR(p)-A na geração de séries de afluências e de energia natural afluente. A ENGIE está de acordo com as alterações propostas para os critérios de parada. Não obstante, os resultados dos testes evidenciaram que as propostas recomendadas não representam a convergência completa em uma fração considerável dos casos, ponto que necessita ser devidamente solucionado em trabalhos futuros. Com relação ao par de CVaR proposto entendemos a necessidade em aprimorar o modelo para resultar em níveis de geração termelétricas aderentes, e o par proposto pela CPAMP (α = 25% e λ = 40%) atende a esta premissa. No entanto, há espaço para reconsideração e adoção do par CVaR(25,30) ou CVaR(25,35), que apresentaram bom compromisso entre a aversão ao risco e a minimização de geração térmica excessiva em situações de atendimento assegurado. Quanto à utilização da CRef como critério de calibração do CVaR, cabe destacar que a primeira foi desenvolvida com um objetivo específico de subsidiar o CMSE na decisão do ajuste de despacho térmico além do orientado pelos modelos oficiais da operação, ocasionando em geração fora da ordem de mérito e encargos adicionais aos consumidores. Como toda a orientação dos parâmetros do modelo esteve voltada a atender os níveis de armazenamento da curva pelo bloco térmico orientado no despacho, vemos com preocupação uma não definição clara da construção dos níveis da curva bem como o volume parcial de despacho térmico associado ao nível, seguindo o objetivo da reprodutibilidade da operação e preços. Logo, recomendamos a definição regulatória do critério de estabelecimento do Nível de Segurança associado às curvas de referência, bloco térmico esperado e do critério de seleção do cenário hidrológico desfavorável empregados na CRef.

    Número identificador: 121/22-031827

    Justificativa da reprovação: